KRAV MAGA '' So that one may walk in peace'' Imrich Lichtenfeld
Home » CÓDIGO DEONTOLÓGICO

CÓDIGO DEONTOLÓGICO

CÓDIGO DEONTOLÓGICO DO TREINADOR DE KRAV MAGA

A INTERNACIONAL KRAV MAGA FEDERATION - APD

Juntamente com outras Organizações do Concelho de Associações de Krav maga de Portugal, tem como seus principais objetivos a criação de uma identidade profissional, da credibilização e união dos Treinadores de Krav Maga.

Para atingir esses objetivos, a IKMF-APD deve ser capaz de definir de forma clara e precisa qual o seu código deontológico procurando salvaguardar desde logo que todos os profissionais desta área pautem pela mesma conduta profissional, estando bem cientes dos seus direitos e deveres entre os seus colegas e os seus utentes.

A IKMF-APD considera que somente seguindo este código poderá existir uma maior eficiência e seriedade profissional que, por sua vez, permitirá ao profissional ser reconhecido por parte da sociedade como agente principal da promoção do Krav Maga, bem estar e saúde através da prática da defesa pessoal, contribuindo na formação enquanto cidadão de todo o praticante.  Para o efeito, pretende-se criar e implementar o presente código deontológico, para os Treinadores de Krav Maga que atuam em ginásios, academias, health-clubs e afins, em espaços públicos ou em espaços privados.

Este código é uma declaração da conduta ética e moral, alicerce de uma deontologia profissional válida, que quando incorporada na atividade laboral de todos os Treinadores de Krav Maga proporciona um respeito mútuo entre todos os agentes intervenientes.

Como nota de especial agradecimento e reconhecimento pelo IPDJ.

 

Capítulo I

 Âmbito Deontológico

 Artigo 1º

 Finalidade

 Implementar uma conduta profissional própria e eficaz no Treinador de Krav Maga  de forma a que o seu serviço prestado no âmbito da prática do Krav Maga, relacionado com a defesa pessoal,  bem-estar e saúde seja de qualidade, dignifique a profissão, beneficie o consumidor final e potencie o desenvolvimento do sector  em Portugal.

Artigo 2º - Objeto do Código

1 - O presente código destina-se a todo o Treinador de Krav Maga, devidamente qualificado a nível formativo e legal, que seja reconhecido pela  IKMF.

Artigo 3º  

Dever do Profissional perante o Código

1 - Cumprir com as orientações deontológicas que

fazem parte deste documento.

 2 – Servir-se deste código para orientar todas as decisões e ações que opta ou delega no âmbito da sua atuação laboral.

 

Capítulo II

Definição Profissional

Artigo 4º

Definição de Treinador de Krav Maga

1 - Toda a prática de atividade inserida no Krav Maga, em que um profissional devidamente certificado como Treinador de Krav Maga , ministra, técnicas do sistema de defesa pessoal israelita.Através de aulas estruturadas  em que é induzido ao aluno a capacidade de se defender de ameças, trabalhando também a sua condição física, num ambiente controlado,

que proporciona um esforço físico e mental, executada de forma intencional e que vá de encontro a um objetivo bem definido.

 

Artigo 5º

 A função do Treinador de Krav Maga

1 – O Treinador de Krav Maga tem como função laboral avaliar, planear, prescrever, controlar e acompanhar a prática do Krav Maga de todos aqueles que procurem os seus serviços, com ou sem condições clínicas associadas, tendo como objetivos a saúde e/ou a evolução técnica do aluno.

2 – As funções definidas no ponto anterior deste artigo devem ser efetuadas de acordo com as práticas correntes e superiormente determinadas pela IKMF-APD.

 

Artigo 6º

 Atuação Profissional

1 - A atuação do Treinador de Krav Maga deve ser em conformidade com as suas capacitações, conhecimentos e competências conferidas pela sua formação e experiência profissional.

 2 – A atuação do Treinador de Krav Maga deve ser no âmbito do disposto do artigo 6º deste código e não pode intervir em áreas que não façam parte da sua função profissional e para as quais não está habilitado por entidades capacitadas para tal.

4 – O acompanhamento de todos aqueles que procuram os serviços de um Treinador de Krav Maga físico terá que ser presencial.

 5 – O Treinador de Krav Maga deve assumir um papel ativo na determinação de padrões de qualidade superiores no exercício da sua profissão.

6 – A oferta e divulgação dos serviços profissionais prestados pelo Treinador de Krav Maga tem que dignificar a sua profissão.

 

Capítulo III

Deveres do Treinador de Krav Maga

 Artigo 8º

 Responsabilidade

1 – Promover e assegurar que a sua prática profissional seja promotora de estilos de vida saudável.

2 – Assegurar que que a sua prática profissional seja pautada por valores éticos e morais.

3 – Assumir, no desempenho da profissão, todas as responsabilidades decorrentes dos atos realizados na avaliação, planeamento, prescrição, controle e acompanhamento do programa de exercícios físicos dos utentes que procuram os seus serviços.

4 – Ser zeloso na sua prática profissional de forma a honrar e prestigiar a profissão de Treinador de Krav Maga.

5 – Renunciar a qualquer ato que possa por em causa a autonomia da sua ação e emancipação do seu juízo.

 

Artigo 9º

Respeito

1 – Respeitar todos os elementos com quem se relaciona na sua atividade profissional.

2 – Ser ético e respeitoso com todos os colegas de profissão, quer colabore ou não com eles diretamente, bem como com a instituição onde exerça a profissão e todas as entidades que se relacione neste sector de intervenção.

3 – Respeitar a vida, a dignidade, a integridade e aos direitos de todos os utentes que o procuram.

   

Artigo 10º

Integridade

1 – Ser honesto, integro e correto em todas as relações que estabelece profissionalmente de forma a transmitir confiança e respeito.

 

Artigo 11º

Dever Social

1 – Procurar ser um exemplo na adoção de um estilo de vida saudável e promover a prática de krav maga e atividade física junto da comunidade onde se insere, igualmente, através de práticas informais.

 

Artigo 12º

Sigilo Profissional

1 – Todas as informações obtidas na relação profissional com o seu utente são confidenciais de forma a salva guardar o interesse de todos os intervenientes, em especial o do utente.

2 – De igual forma, as informações obtidas no âmbito profissional com instituições, colegas de profissão e outras entidades devem ser salva guardadas.

 

Artigo 13º

Valorização da sua Atividade Profissional

1 – Ser um agente ativo, promotor e zelador da profissão de Treinador de Krav Maga.

2 – Interessar-se pelo valor da ação laboral, atuando com probidade, altruísmo e excelência no exercício profissional em relação a todos os intervenientes.

 

Artigo 14º

 Publicidade Pessoal

1 – Toda a publicidade pessoal exercida no âmbito profissional deve informar de uma forma clara, precisa e objetiva dos serviços por si prestados, assegurando a veracidade dessa informação e, igualmente, que não seja indutora a erro na interpretação.

2 – Assegurar que a divulgação usada para a finalidade enunciada no ponto anterior, cumpre os princípios deontológicos descritos neste documento.

3- Toda publicidade deve ser autorizada pela Direção da IKMF.

 

Capítulo IV

Relação com os Alunos

Artigo 15º

 Prestação dos Serviços

1 – Assegurar que todo o serviço prestado é sempre feito em benefício e interesse do aluno

2 – Certificar que todo o serviço prestado estar em consonância com os regulamentos da IKMF.

3 – Aceitar ser responsável Treinador de Krav Maga junto a um aluno, quando apresente competências para exerce-lo de forma sensata, segura, motivadora e eficaz em relação ao objetivo pretendido pelo aluno.

4 – No exercício das suas funções profissionais ser capaz de prever e tomar iniciativas para combater todas as práticas imorais e não éticas, bem como todas as ações comprovadamente nefastas para o organismo humano.

 

Artigo 16º

 Interesses e Necessidades do Utente

1 - O Treinador de Krav Maga deve conhecer e atender as verdadeiras necessidades do aluno.

2 – O Treinador de Krav Maga deve compreender que a origem das necessidades do utente ocorrem devido a vários fatores não só biológicos, mas igualmente sociais e culturais.

Desta forma, deve assegurar-se do seu conhecimento e da forma correta de o usar para que o aluno atinja o seu objetivo.

 

Artigo 17º

Imparcialidade na Prestação de Serviços

1 - Proporcionar benefício ao aluno de acordo com o seu interesse, mantendo sempre o respeito sobre a dignidade e os direitos da pessoa humana, independentemente de qualquer consideração relativa à idade, sexo, etnia, nacionalidade, orientação política, credo religioso, condição socioeconómica e cultural.

 

Artigo 18º

Respeito no Ato Laboral

1 – Durante o ato laboral o Treinador de Krav Maga deve respeitar a intimidade física do utente protegendo-o de interferência de terceiros.

2 – O Treinador de Krav Maga não poderá impor os seus valores e cultura pessoais ao utente, respeitando os do próprio.

3 – O contato corporal e de proximidade do Treinador de Krav Maga com o seu aluno na prática laboral pode ser necessário. Contudo, têm que ser efetuados com respeito pela intimidade do utente e discutidos de forma clara a quando da sua necessidade. 

 

Artigo 19º

Excelência na Atividade Laboral

1 – O Treinador de Krav Maga deve assegurar que o seu trabalho seja efetuado com mestria e qualidade dentro das condições que tem ao seu dispor.

 2 – Qualquer deficiência que possa prejudicar a qualidade do serviço prestado ao utente pelo IKM deve ser comunicada, por via adequada, a quem seja competente para tal ou solucionada pelo próprio quando for responsável pela mesma.

 3 – O Treinador de Krav Maga deve efetuar um controle e avaliação frequentes da qualidade dos seus serviços prestados ao utente, refletindo sobre os mesmos, de forma a melhora-los.

4 – O planeamento e prescrição das aulas ministradas pelo Treinador de Krav Maga deve ter sempre em conta os princípios estabelecidos pela IKMF

 5 – Quando solicitado pelo seu utente, o Treinador de Krav Maga deve responder de forma clara e esclarecedora a todas as questões relacionadas com o processo de treino por si ministrado e pelo serviço prestado.

6 – As decisões tomadas em relação à avaliação, planeamento e prescrição das técnicas de Krav Maga têm que ser sempre fundamentadas pelo manual da IKMF, conhecimento científico e válidas para o objetivo pretendido.

 7 – O Treinador de Krav Maga tem que garantir a atualização dos seus conhecimentos científico de forma a garantir um serviço ao seu utente seguro, eficaz e motivador.

8 - Ao exercer as suas funções o Treinador de Krav Maga tem que se abster de estar sob a influência de substâncias susceptíveis de produzir perturbação das suas faculdades físicas ou mentais.

 

 

Cacém  05 de Junho de 2019

O Director da IKMF - PORTUGAL

e Presidente da Associação IKMF- APD

Joaquim Santos